Em que contexto se cria uma obra de arte? Por onde começa? Como se constrói? Quem está por detrás dela? Como é o seu mundo? A lente indiscreta surge para captar o ambiente e o momento da criação, a personalidade e a intenção do artista. É um projecto fotográfico há muito pensado e que finalmente começa a ganhar forma. Trata-se de aliar o poder da imagem ao valor que a escrita lhe pode acrescentar, de divulgar a arte das pessoas - a vossa arte - seja um projecto bem definido ou simplesmente um hobby. Trata-se de abrir ao mundo aquilo que vos move e de lhe mostrar novas perspectivas, novos conceitos ou simplesmente novas reinvenções de uma mesma realidade. Esta é a lente indiscreta.






Ver mais aqui [+]

13 comentários:

P. Pato disse...

Ciao Bella!

Passei aqui rapidinho só para dizer que estou muito orgulhosa deste projecto.

Beijos de loongeee.

sónia silva disse...

Ciao!!!
acende uma velinha por mim no meio desses santos todos, sim?

beijoooooooooo

pedro b disse...

fiquei com vontade de ser alfaiate.

sónia silva disse...

pedro b,
podes sempre iniciar-te na arte do corte e costura!
;)

Anónimo disse...

Fiquei verdadeiramente encantada :) obrigada.
beijos MG

Jan Puerta disse...

Excelente.
Un abrazo

sónia silva disse...

Beijinhos MG
;)


Jan Puerta,
Gracias.
:)

Baudolino disse...

Excelente continuação deste projecto!

sónia silva disse...

P.
Obrigada pela tua visita e pelo comentário.
um beijinho grande

artur barata disse...

artur barata disse...

Fiquei contente por ver o vosso trabalho sobe o alfaiate Néu
Posso dizer que foi meu alfaiate e do resto da 3ª companhia 4515/73 na guerra colonial.
Posso provar que esteve a trabalhar numa alfaiataria nas horas vagas na cidade de Malange em Angola.
Posso dizer que ainda hoje é um homem preocupado com os colegas.
É um bom pai dom marido e um grande avô
Confirmo eu
Artur Barata ( Alfama)

sónia silva disse...

Caro Artur Barata,
Obrigada pela presença e pelo comentário. O Sr. Néu foi uma pessoa que me deu grande gosto fotografar e mais ainda conhecer.

um beijinho

AFRODITE disse...


Foi uma pena este projecto não ter tido seguimento.

Não sei quando, foi já há bastante tempo, mas sei que já estive aqui e vi esta reportagem.
Não pude deixar de esboçar um enorme sorriso... porque conheço o Néu pessoalmente, apesar de que há mais de 20 anos que não privo com ele... mas é assim a vida!

Gostei muito de reler... e recordar as suas mãos a trabalhar, de linha e dedal... com destreza e confiança a cada ponto que dava.


(^^)

S disse...

AFRODITE,
Obrigada pelo comentário e interesse.
Por motivos de distância, da minha parte, este projecto está de facto parado, não quer dizer que não volte a pegar nele.
O Sr. Néu foi um gosto conversar e fotografar.